UWB em outros Idiomas!

English French German Spain Italian Dutch Japanese Chinese Simplified

Encontre-nos na Web!

Facebook: uniaowiccadobrasil Orkut: 7672662905112215113 Twitter: uwb_ YouTube: uniaowiccadobrasil External Link: google.com/profiles/uniaowiccadobrasil

Conhecendo a Wicca

UWB no Facebook

Enquete

De qual região brasileira você é?
 

Quem está Online?

Nós temos 7 visitantes online
uniaowiccadobrasil.org.br IMPRENSA ARTIGOS Quem eram os Lusitanos?
Quem eram os Lusitanos? PDF Imprimir E-mail
Qua, 28 de Dezembro de 2011 11:46
AddThis Social Bookmark Button

Por Roberto Quintas (Colaborador da UWB)

lusitanos

Os lusitanos são normalmente vistos como uns dos antepassados dos portugueses do centro e sul do país e dos extremenhos. Eram um povo celtibérico que viveu na parte ocidental da Península Ibérica.

Primeiramente, uma única tribo que vivia entre os rios Douro e Tejo ou Tejo e Guadiana. Ao norte do Douro limitavam com os galaicos e astures - que constituem a maior parte dos habitantes do norte de Portugal - na província romana de Galécia, ao sul com os béticos e ao oeste com os celtiberos na área mais central da Hispânia Tarraconense. A figura mais notável entre os lusitanos foi Viriato, um dos seus líderes no combate aos romanos.

lusitanos01Apesar de as fronteiras da Lusitânia não coincidirem perfeitamente com as de Portugal de hoje, os povos que aqui habitaram são uma das bases etnológicas dos portugueses do centro e sul e também dos extremenhos (da Extremadura espanhola). Desde épocas remotas esta faixa territorial foi ocupada pelo homem. Dos tempos pré-históricos restam vestígios como as grutas naturais e artificiais de Estoril, Cascais, Peniche, Palmela e Escoural. Esta última foi descoberta acidentalmente por uma detonação de uma pedreira e estudada de imediato pelo Dr. Farinha dos Santos que encontrou intactos os restos mortais dos ocupantes deste refúgio, abrigo e jazida funerária; outras jazidas com restos do paleolítico e neolítico são os conceiros do vale do Tejo e Sado, em Muge, da ribeira de Magos, dos arredores da Figueira. Mas principalmente a cultura megalítica, com os dólmens, monumentos de falsas cúpulas de Alcalar no Algarve, que teve no território português um dos seus maiores focos de expansão, constitui um testemunho, que desde épocas longínquas este território foi um "habitat" priveligiado.

Supõe-se que o Périplo de um navegador Massaliota, efectuado por volta de 520 AC que descreve a sua viagem marítima ao longo das costas da península, tenha sido aproveitado por Rufo Festo Avieno, escritor do século IV para compor a Ode Marítima. No seu poema, Avieno refere-se aos Estrímnios, que podem ser considerados o mais antigo povo identificado neste território, procedente do Norte de África. O poema ainda refere que as regiões da costa cantábrica eram habitadas pelos Dráganas, e a sul, na actual região do Algarve, os Cinetes ou Cónios.

Muitos dos povos antigos que entraram na Península Ibérica deixaram no território da Lusitânia vestígios bem marcados dos contactos comerciais e de influência cultural, nomeadamente, e perfeitamente acentuados e reveladores de uma assimilação mais profunda, são os vestígios da ocupação romana e também os das invasões dos visigodos e dos árabes. Alguns historiadores antigos referem-se ao ouro da Lusitânia, riqueza que como a prata é hoje testemunhada pela frequência dos achados em Portugal, de numerosas jóias típicas fabricadas com esses metais — colares, braceletes, pulseiras, arrecadas, etc. O cobre, em abundância, extraía-se das minas do Sul. O chumbo encontrava-se, segundo Plínio, na cidade lusitana de Medubriga Plumbaria, que da abundância local daquele minério teria recebido o nome.


Roberto Quintas é bacharelado em Comunicação Social com habilitação para Propaganda e Marketing. Pagão, escritor e filósofo, acadêmico autodidata em História, Antropologia, Etnologia, estudante dedicado das Religiões Antigas, Bruxaria e Wicca.

Nota: Os textos aqui publicados são de inteira responsabilidade dos seus autores e podem não expressar a opinião da União Wicca do Brasil.

 

 

 

Adicionar comentário

Ao comentar aqui, pedimos que:


- Não ofenda outros participantes e não incentive a violência.
- Os comentários estarão presentes no site após aprovação dos administradores.
- Não perca seu tempo enviando comentários com spam.
- Para sua foto aparecer no comentário,cadastre-se no GRAVATAR e utilize o email do cadastro em nosso formulário.
- É obrigatório o preenchimento de NOME e Email. Fique tranquilo pois seu email não será divulgado nem aparecerá no comentário publicado.


Obrigado!


Código de segurança
Atualizar